6 dicas para avaliar a viabilidade de um investimento

Simplificando os conceitos para análise do sonhado investimento ideal

Aqui neste texto vamos introduzir conceitos essenciais para que você possa analisar a viabilidade financeira de um investimento. Serão fornecidas 6 dicas importantes para que você construa e/ou invista em um projeto rentável.

Antes de começar é importante reforçar uma das premissas básicas de todo investimento: ter um lucro condizente ao seu perfil de risco. Para isso o conhecimento, planejamento legal, técnico, financeiro e estratégico são fundamentais para minimizar os impactos negativos, tornando o seu resultado mais assertivo e sustentável.

Imagine um novo projeto qualquer, podendo ser um comércio, startup, filial, e-commerce, ou uma participação societária. Para dar o start desta operação foi planejado um custo inicial de R$ 100.000,00 com projeção de um resultado anual de R$ 35.000,00 durante 5 anos. Com base nessas informações, podemos dizer que foi definida uma Taxa mínima de atratividade (TMA) em 12% ao ano, que apresenta um Valor Presente Líquido (VPL) de R$ 26.167,17, uma Taxa Interna de retorno (TIR) de 22,11%, uma taxa de lucratividade (IL) de 1,26 e tem o retorno do investimento (PAYBACK) em um pouco mais de 3 anos e meio (3,7 anos).

Mas o que esses indicadores significam? Abaixo listamos algumas dicas fundamentais para a aplicação desses conceitos financeiros com o objetivo de simplificar a compreensão da base teórica, deixando para explorar os cálculos em um segundo momento.    

Dica 1 – O valor do investimento ideal para um projeto

O valor total do investimento precisa atingir o objetivo básico da rentabilidade esperada, dentro de um custo de oportunidade para obter o devido retorno do investimento dentro de um prazo projetado.

Essa conclusão parece óbvia, mas na prática o investidor tende a se envolver emocionalmente com seus projetos, levando a inflar as despesas e custos, sem mensurar os desdobramentos sobre a receita e o seu impacto no resultado final.

Por isso, quanto maior o investimento for maior precisa ser o potencial de geração de receita (fluxo de caixa positivo). Ao inflarmos o aporte inicial sem a devida criação de riqueza, podemos tornar o projeto inviável. Então para atingir os objetivos básicos do investimento ideal são necessários planejamentos estratégicos com projeções dos cenários futuros.

A partir das projeções são analisadas as expectativas de conversão das receitas, monitorando todos os custos e despesas inerentes ao negócio, afim de obter um resultado líquido condizente e dentro do esperado. No exemplo citado o valor de investimento proposto foi de R$ 100.000,00 que após a apuração do demonstrativo de resultado (DRE) apresentou fluxos de caixa futuro de R$ 35.000,00 anuais, que precisam ser atualizados a valor presente com base em um custo de oportunidade.     

Dica 2 – Definindo o custo de oportunidade ou Taxa mínima de atratividade (TMA)

Antes de avaliarmos qualquer investimento, precisamos avaliar o custo de oportunidade, utilizando alguma referência (benchmark). Ou seja, toda expectativa de custo deve ter uma expectativa de retorno maior com relação a outra oportunidade de investimento que você está abrindo mão.

Com intuito de averiguar esses pontos, o mercado utiliza alguns conceitos, como o Modelo de Precificação de Ativos de Capital (Capital Asset Pricing model – CAPM). Este modelo consiste em somar o custo mínimo de um ativo livre de risco (renda fixa) adicionando um prêmio pelo risco, o resultado dessa soma é a Taxa mínima da Atratividade (TMA) para investir neste novo projeto.

Para o exemplo citado, utilizamos com base uma expectativa de Taxa de juros futura (SELIC) de 7% ao ano e ao adicionarmos o prêmio pelo risco, chegamos em uma TMA de 12% ao ano. Essa será a taxa de desconto base para precificarmos as projeções dos resultados futuros a valor presente.  Isto é, se a expectativa de retorno do meu investimento deve corresponder ou ser superior à TMA para valer a pena. 

Dica 3 – Como avaliar a projeção dos resultados futuros a valor presente líquido (VPL)

O Valor Presente Líquido (VPL) é utilizado para sabermos qual o valor da projeção das receitas futuras do investimento no dia de hoje. Ele é obtido através do desconto do percentual definido como taxa mínima de atratividade (TMA). Se o resultado do VPL for positivo, isso significa que o projeto é viável financeiramente e que a rentabilidade do projeto supera a taxa definida como custo de oportunidade.  

As projeções dos demonstrativos de resultado (DRE) dos exercícios futuros do projeto citado como exemplo, demonstram um fluxo de caixa anual de R$ 35.000,00 durante os próximos 5 períodos. Ao aplicar o desconto através da TMA de 12% chegamos a um VPL total positivo de R$ 26.167,16. Ou seja, o investimento é viável e a sua Taxa interna de Retorno (TIR) supera a taxa mínima estabelecida.

Dica 4 – Entender a importância da Taxa interna de retorno (TIR) do projeto

A Taxa Interna de Retorno (TIR) representa a rentabilidade do projeto. Ela precisa ser superior a taxa mínima de atratividade, demonstrando que a soma do VPL dos fluxos de caixa de cada exercício é positiva e que o investimento é viável financeiramente. O exemplo citado apresenta uma TIR de 22,11%, que representa 10,11% a mais do que os 12% da TMA, a qual foi o definida como nosso custo de oportunidade (taxa renda fixa + prêmio pelo risco). Isso demonstra que o projeto, além de ser viável, possui uma boa lucratividade.    

Dica 5 – Calcular se o projeto tem lucratividade

O índice de lucratividade (IL) é simplesmente o fator que demonstra a razão entre o investimento sob a geração de receita líquida. O investimento é considerado lucrativo quando o IL é maior do que 1. Podemos justificar esse índice pelo caso tratado aqui, pois quando é somado o valor do investimento inicial de R$ 100.000,00 com o VPL de R$ 26.167,16, o resultado de R$ 126.167,16 dividido pelo investimento inicial, obtém um IL de 1,26, isso representa que para cada R$ 1,00 investido alcança uma lucratividade de R$ 0,26. Quanto maior o lucro, mais rápido será o retorno do investimento. 

Fórmula do exemplo: (Investimento Inicial + VPL) / Investimento Inicial = IL      

Dica 6 – Entender o tempo retorno do investimento (PAYBACK) 

O tempo de retorno do investimento (PAYBACK) ocorre no momento em que os fluxos de caixa (simples ou descontados) somados atingem exatamente o valor do investimento inicial. Ou seja, antes deste momento o projeto ainda usava seus ganhos para pagar o montante investido, e depois desta marca o que é gerado é lucro.

No projeto exemplificado a projeção de resultado de caixa são de 5 anos, que no cálculo do fluxo de caixa descontado (VPL), demonstra um PAYBACK de 3,7 anos com o retorno dos R$ 100.000,00 na integralidade, a partir deste momento, nos 1,3 anos restantes, os valores remanescentes serão o lucro líquido da operação.         


Fazer um bom planejamento, traçando cenários e metas, são princípios fundamentais para trazer previsibilidade e segurança nas tomadas de decisões, que casado ao conhecimento de alguns conceitos e de boas práticas, reduzem os riscos e potencializam os resultados. É essencial fazer uma análise prévia de qualquer novo projeto de investimento antes de se aventurar, pois as chances de alcançar o sucesso pretendido serão maiores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

R. Prof. Filadelfo Azevedo, 566
Vila Nova Conceição, 04508-011
São Paulo – SP

Direitos reservados Plano Consultoria Financeira – 2021.